Pequenas Confissões

Preciso confessar que…

“Preciso confessar que a metodologia “Little Hearts” não fora iniciada a partir do princípio teórico da Aprendizagem Criativa. Iniciamos a construção do método intuitivamente a partir da necessidade de um formato eficaz que pudesse ser re-criado e co-criado por estudantes de graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Este método precisaria ser de baixo custo, pois não tínhamos financiamento. Precisaria ser de fácil execução e replicável. Olhamos então para a comunidade de duas formas. Uma, através de resultados dos dados da minha tese de doutorado realizada na pequena cidade de Baependi. Outra, quando minhas alunas do curso de Medicina da UFJF se deslocaram de Juiz de Fora a Baependi, pela primeira vez, para entender a curiosidade das crianças sobre a temática saúde e hábitos de vida saudáveis.

Encontramos a Aprendizagem Criativa quando encontrei Leo Burd, em agosto de 2017, no Lifelong Kindergarten Lab no MIT, após um ano de procura e tentativas. Contei sobre o Programa “Little Hearts” no sofá, em frente “ à mesa que é um baú transparente com peças de lego amarelas. Voltei depois de 15 dias, a convite, para mostrar-lhe algumas fotos, as minhas ideias e o passo-a-passo que havia desenhado. Também a convite, fui como palestrante para a Primeira Conferência sobre Aprendizagem Criativa no Brasil, em Curitiba. Comecei então a participar dos fóruns e reuniões da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa e entendi que utilizava os 4 Ps (que vocês vão conhecer daqui a pouco) para a construção de projetos dentro da universidade, com graduandos que agora já eram de cursos como Medicina, Odonto, Enfermagem, Nutrição, Teatro. O próximo passo foi adequar a metodologia para que os 4 Ps fossem contemplados em sua amplitude conceitual junto a estratégias direcionadas ao público infantil.