Alunos “X”

Na maioria das escolas, em todo o mundo, a prioridade é ensinar alunos a seguirem instruções e regras formando os denominados alunos “A”; quando, na verdade, deveriam estar auxiliando alunos a desenvolverem as próprias ideias, objetivos e estratégias, contribuindo para a formação de alunos “X” (Mitchel Resnick, Lifelong Kindergarten 2017).

O sistema educacional, portanto, tem iniciado o reconhecimento da necessidade de mudanças. O próprio governo federal, através da reforma da Base Nacional Comum Curricular (BNCC, 2018) voltou os holofotes para 10 principais competências, as quais são subdivididas em dimensões e subdimensões.